terça-feira, 21 de novembro de 2017

A indiferença de Deus

Aproveitando minhas últimas horas de férias deixo mais um texto. Na verdade, é parte do livro: O Silêncio do Cristão Sob o Ardor da Vara de Thomas Brooks. Se até então você não tinha visto suas lutas e provas por este prisma, pode se surpreender...

Porque o Senhor corrige o que ama, e açoita a todo filho a quem recebe.” (Hebreus 12:6)

Quando Ele não demonstra ira!
Não pode haver uma maior evidência do ódio e da ira de Deus do que Sua recusa em corrigir os homens por seus caminhos pecaminosos e por suas vaidades!

Quando Deus recusa-se a corrigir, resolve destruir! Não há homem tão perto do machado de Deus, tão perto das chamas, tão perto do Inferno, quanto aquele a quem Deus deixa de colocar em grande medida sob sua vara! “Eu repreendo e castigo a todos quanto amo; sê, pois zeloso, e arrepende-te” (Apocalipse 3:19).

Deus mostra-se muito mais furioso quando Ele não demonstra ira!
Quem pode meditar seriamente sobre isso e não ficar em silêncio sob o ardor da vara de Deus?

Todo Inferno que você alguma vez terá!

Considere Cristão, que todas as provas e problemas, calamidades e misérias, cruzes e perdas que você encontrar neste mundo, será o único Inferno que você terá!

Aqui e agora, você tem o seu Inferno. Logo mais, você deverá ter o seu Céu! Sua pior condição é aqui e agora; o melhor ainda está por vir!
(...)
Aqui você tem todas as suas amarguras, mas as suas doçuras ainda estão por vir! Aqui você tem as suas tristezas, mas as suas alegrias ainda estão por vir! Aqui você tem todas as suas noites de inverno, mas os seus dias de verão ainda estão por vir! Aqui você tem todos os seus males, porém, suas benesses ainda estão por vir!

A morte porá fim a todos os seus pecados e a todos os seus sofrimentos! A morte será uma entrada para essas alegrias, prazeres e confortos que nunca terão fim!
(...)

Então a escória aparece!
Poucos Cristãos veem e compreendem a si mesmos corretamente. Nas provações, Deus revela grande parte da pecaminosidade de um homem a fim de levá-lo à piedade. Quando o fogo é colocado sob a panela, logo aparece a escória. Assim, quando Deus prova uma pobre alma, Oh! Como... a escória do orgulho, a escória da murmuração, a escória da desconfiança, a escória da impaciência, a escória do mundanismo, a escória da carnalidade, a escória da loucura, a escória da obstinação — que se revela no coração da pobre criatura?


Os julgamentos são o espelho de Deus em que Seu povo pode ver suas próprias falhas. Oh! Que frouxidão, que vileza, que miséria, que bacia de imundícia, que abismo de maldade que as provações revelam existir em seus corações! “Eis que te purifiquei, mas não como a prata; eu escolhi-te na fornalha da aflição” (Isaías 48:10). Pág 06/07

Fonte: Facebook.com/OEstandarteDeCristo

OEstandarteDeCristo.com Issuu.com/oEstandarteDeCristo 

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Salvação é coisa séria!

Após o culto de sábado (18), uma pequena turma saiu para lanchar. Em algum momento a conversa girou em torno da mensagem pregada. Síntese: não ao pecado do consumismo, da pornografia, do engano, do rancor, da inveja... situações que afligem cotidianamente os servos e exigem um não diário.

Determinada serva reconheceu ser consumista e que não abria mão disso pois o dinheiro era dela.

Essa é uma questão de visão. Você pode dizer que o dinheiro é seu e faz dele o que bem entender ou reconhecer que administra algo que o Senhor te concedeu. Do que daremos conta a respeito da nossa mordomia?

A conversa continuou...

Disse: Quando Deus resolveu enviar seu JUÍZO ao mundo através do dilúvio, SALVOU 08 pessoas (Noé, Cam, Jafé, Sem e as esposas) em detrimento de milhares/milhões que se perderam. Quando o Senhor enviou o JUÍZO ao Egito e guiou o povo a Terra Prometida, acredita-se, historicamente, que cerca de 2 milhões de pessoas morreram no deserto e somente duas pessoas ENTRARAM NA TERRA PROMETIDA (Josué e Calebe). Quando Cristo multiplicou Pães e peixes, cinco mil homens (fora mulheres e crianças) se alimentaram daquilo que era um milagre pra esta vida, mas quando Jesus afirma que quem não comer da Sua Carne e beber do Seu Sangue não tinha parte com Ele (milagre para outra vida), apenas 12 homens ficaram, e um deles, diga-se de passagem, suicidou-se posteriormente.

Eis que fui confrontado na minha conversa: “então é muito difícil alguém se salvar”.


Sim, na verdade, é impossível qualquer um de nós se salvar. Para isso, Deus enviou seu Filho amado a morrer numa cruz em favor das nossas vidas. Isso se chama graça. Favor imerecido aos homens. Quem crer Nele e cumprir seus mandamentos terá a vida eterna. Quem insiste em negar a Cristo através de seus pecadinhos e viver uma vida brincando com a própria salvação, como diz parte da letra de uma música que um primo meu fez: corre o risco!

quarta-feira, 25 de outubro de 2017

Um quarto para o Homem de Deus

E sucedeu que um dia ele chegou ali, e recolheu-se àquele quarto, e se deitou. 2 Rs 04:11
Existe uma riqueza muito grande na história da mulher Sunamita, porém, quero ressaltar a iniciativa dela de construir um quarto para Eliseu. Ela poderia reservar um quarto qualquer para hospedar o profeta, contudo, resolveu separar um quarto especial.
Dentro da casa do coração do homem existem muitos quartos. Família, trabalho, casamento, lazer, Whatsapp(?), Facebook(?) entre outros, disputam cada canto visando espaço e tempo.
Se a sunamita separasse um quarto qualquer da casa, certamente, mais cedo ou mais tarde, ele poderia ser realocado para receber uma outra visita, para colocar a sogra que chegou de surpresa ou viraria o cantinho do cachorro. Por isso, talvez, conhecedora que os quartos da casa poderiam vir a ser ocupados por uma situação diversa, afinal de contas, a casa se prestava a isso, resolveu fazer um quarto especial.

Meu amigo, deixar a casa comum do coração para o Senhor pode te custar a ausência de um lugar para Ele. Lembre-se, quando Cristo nasceu não havia lugar em nenhuma estalagem para o Filho de Deus. Não houve reservas. Por isso, te convido a fazer um quarto especial. Normalmente, o quarto para o homem de Deus na vida de muitos é o quarto da sobra. Sobrou tempo eu oro, (ou quando estou em aflição), sobrou tempo eu leio a Bíblia. Que tal construir um quarto só pra Deus hoje? Deixar uma hora específica do seu dia para Ele, para orar, pra Ele vir te visitar de uma maneira mais especial. Alguns momentos mais específicos para ler Sua Palavra. Que tal? Assim como o quarto da sunamita, esse quarto deve ser construído e são grandes os benefícios de ter um quarto reservado para O Homem de Deus.

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

O convite para a festa

Este 01:12a Porém a rainha Vasti recusou vir conforme a palavra do rei...

Certa vez Jesus comparou a salvação a uma grande festa (Lucas 14). Na parábola, o dono da festa manda seus servos fazerem os convites. Um após o outro começaram as escusas.

Se existe uma missão em buscarmos, através do evangelho, os convidados para a festa de Deus (Grande Comissão), existe uma “preocupação” tão grande quanto, que é não perder essas vidas dentro da festa inicial. Seria isso possível?

Bem, para entendermos esse ponto é preciso sabermos que a festa da salvação inicia aqui mas só se completará nas mansões celestiais, onde a festa será perfeita! Aleluia!

Jesus advertiu da possibilidade de se realizar uma festa na casa do pai e participantes não estarem contentes e nem mesmo quererem participar já estando dentro da casa. É o caso da parábola do filho pródigo, sendo que o filho que ficou, não quis participar da alegria do pai por aquele que se perdeu e agora retornara (Lucas 15).

Esse foi o caso de Vasti. Morando dentro do palácio, convivendo com o rei, talvez estivesse acostumada com a presença dele, com as festas que fazia, estava cansada, enfim, são muita conjecturas, mas o fato é que estando dentro do palácio, ela não quis descer para participar da festa do Rei. Resultado: perdeu sua coroa.

Quem está lá fora não conhece a alegria da festa, a comida, a bebida, a presença do Rei que deixa a festa especial. Você, que já esteve ou está desfrutando da festa diária na presença do Rei dos Reis, sabe do que estou falando. Não recuse esse convite. Uma festa que Ele preparou e que não precisamos levar nada, apenas, a nós mesmos.

segunda-feira, 17 de julho de 2017

A visão de Jesus

E eu, quando o vi, caí a seus pés como morto; e ele pôs sobre mim a sua destra, dizendo-me: Não temas; Eu sou o primeiro e o último; Ap 01, 17
João, o escritor de apocalipse conhecia muito bem o Senhor Jesus, podemos dizer que foi o Apostolo que mais o conhecia Jesus.
E agora estava maravilhado em ver Jesus novamente. Por quê?
Porque ele conhecia um Jesus cheio de dores, de sofrimento, Aquele que tinha morrido na cruz, e agora estava vendo um Jesus glorificado.
Cada olhar
A cada olhar para Jesus, o apóstolo via algo novo e descrevia, e ele vai dizendo: Seus olhos são como chama de fogo, cabelos como a branca lã, sua voz como de muitas águas.
Conhecer Jesus é assim, a cada olhar eu descubro algo novo, eu vejo algo novo, eu conheço algo diferente.
A cada passo neste caminho, Jesus se revela a nos com algo novo, a cada momento algo maravilhoso.
O olhar do mundo para Jesus
No tempo em Jesus caminhou neste mundo, muitos ao olhar para Ele, o desprezaram.
Nos hoje olhamos e o adoramos.
Venderam Jesus por 30 moedas de prata.
Hoje o vendem por um copo de bebida, um maço de cigarros, uma pedra de crack, uma amizade, um namoro, um casamento, coisas tão pequenas em comparação ao que Ele tem reservado para nos.
Abrem mão de Jesus por muito pouco.
Caí como morto
Quando João viu caiu como morto, mas por que?
Somente o homem que tem uma experiência com Jesus vivo, caem como mortos.
Somente assim o homem vive a experiência de morrer para este mundo e viver para Deus.
Colocou a destra dizendo
Quando João caiu como morto, Jesus colocou Sua destra sobre ele, João já havia sentido as mãos calejadas de Jesus, mas agora sentia as mãos de um Deus todo poderoso.
Como é bom sentir o toque de Jesus, como é bom ouvir a voz de Jesus, voz do bom pastor, a voz que acalma a alma.
Diz a palavra que, certa vez, uma viuvá carregava seu filho para a cova, Jesus encontrou com a multidão que carregava o caixão, Jesus falou e tocou no esquife, e ele levantou.
Lazaro estava no túmulo, Jesus bradou Lazaro sai para fora.
Leproso. Nunca mais podia ver sua família. E mais, nunca mais podia sentir o toque de ninguém, o abraço de ninguém, nunca mais ele sentia a mão de ninguém, porque a lei dizia tocou no leproso fica leproso. O leproso se ajoelhou diante de Jesus, e falou Senhor se queres pode limpar-me. Jesus disse eu quero, e colocou as mão no leproso. Porque tocou...? Não precisava tocar, era só dizer, seja limpo. Mas Jesus fez questão, porque a lei dizia tocou no imundo fica imundo. Mas com Jesus foi diferente, Ele tocou no impuro e não ficou impuro, mas o impuro ficou limpo.
O amor e mais forte do que a lei.
O centurião tinha um criado enfermo a beira da morte, chega até Jesus e diz Senhor não sou digno que entres em minha casa, e sei que basta uma palavra sua para meu criado ter saúde.
Quantos familiares nossos, amigos, estão enfermos, doentes, na maior doença que é o pecado, mas basta uma palavra do Senhor, e tudo pode mudar.
Rodrigo Mota - Muriaé / MG

quinta-feira, 29 de junho de 2017

O que multiplicar...você escolhe!

II Rs 04, 5 Partiu, pois, dele, e fechou a porta sobre si e sobre seus filhos; e eles lhe traziam as vasilhas, e ela as enchia.


Restringindo-se aos fatos narrados, quem sabia da dívida era a viúva, mulher que pela condição de viuvez, tinha motivos suficientes para se preocupar. Em vez de reclamar, ela vai ao homem de Deus para que ele pudesse lhe dar um pouco de esperança. E Eliseu o faz. Recomenda àquela mulher que multiplique o pouco que tinha. Bem, ela tinha um bocado de azeite e muita dívida.
Talvez, até sem saber o motivo, os filhos da viúva cumprindo orientação da mãe, começam a trazer os vasos vazios solicitados. E neste momento a mulher começa encher os vasos vazios trazidos por seus filhos.
Não se engane, através de você, Deus quer dar esperança (azeite) a muita gente que vive uma vida vazia (vasos). Muitos que chegam a nós reclamando de problemas minúsculos muitas vezes não tem a noção do risco que estão correndo (filhos como garantia da dívida), mas indo ao homem de Deus (Jesus), podemos reverter o quadro deles. Talvez, hoje vivam desfrutando da multiplicação da benção na vida de alguém que conhece ao Senhor, mas certamente chegará o dia que terão suas próprias experiências de esperanças multiplicadas.

Tem muita gente vazia se achegando. Você pode se juntar a eles e ser mais uma vaso vazio, reclamando da vida, da igreja, do pastor. Você pode ajudar a multiplicar a esperança que um dia Deus colocou em sua vida (vida eterna). Multiplicar dívida para o credor ou azeite para pagar dívida. A escolha é sua!

terça-feira, 7 de março de 2017

Muito prazer: Eu Sou O Abençoador

Gênesis 32:27-29 E disse-lhe: Qual é o teu nome? E ele disse: Jacó.Então disse: Não te chamarás mais Jacó, mas Israel; pois como príncipe lutaste com Deus e com os homens, e prevaleceste. Jacó lhe perguntou, e disse: Dá-me, peço-te, a saber o teu nome. E disse: Por que perguntas pelo meu nome? E abençoou-o ali.

Uma das primeiras coisas que fazemos quando conhecemos alguém é falar nossos nomes. Quando Deus encontra Moisés, uma das primeiras coisas que Moisés fez foi perguntar o nome do Senhor, e o Senhor disse: Eu Sou o que Sou.

Mas no caso de Jacó não foi assim, eles ficaram uma noite inteira lutando, e somente quando o Senhor ia embora, ouve a apresentação formal.

Isso é uma realidade que ainda ocorre nos nossos dias, pessoas que passam a vida lutando com Deus, mas na verdade não conhecem o Senhor.

O Senhor foi muito claro ao dizer, que no dia do juízo, muitos chegarão até Ele é dirão, eu expulsei demônios, curei, e o Senhor olhará é dirá, apartai vos de mim, pois nunca vos conheci.

Vejamos que, pela insistência de Jacó, o anjo (ou Senhor) pergunta seu nome. É certo que o Senhor é onisciente, mas quando pergunta a Jacó seu nome, foi a oportunidade de Jacó confessar quem ele era. É o momento que reconhecemos ao Senhor nossos pecados, nossa vida longe Dele, cheia de erros, e enganos. E é neste momento que o Senhor nos revela o que tem para nós; uma nova vida, um novo homem, um novo nome.

Jacó tinha tudo, isto ele mesmo declara em Gênesis 33:11, mais lhe faltava uma coisa. Ele estava condenado a morte, pois seu irmão Esaú havia prometido que lhe mataria. Nós estamos todos condenados a morte, e somente o Senhor pode nos livrar deste juízo. E para livrarmos desta condenação se faz necessário nascer de novo, da água e do Espírito.

Jaco então pergunta ao Senhor. Qual seu nome? E a resposta não vem com palavras, mas com uma atitude. Então o abençoou. Imagino, que todas as vezes que Jacó se lembrava daquele dia, daquele encontro, podia dizer: “Eu tive um encontro, com aquele que me abençoou. Eu tive um encontro, com aquele que mudou meu nome. Eu tive um encontro, com aquele que me livrou da morte”.
Muito prazer Eu sou O Abençoador.

Rodrigo Mota - Muriaé / MG

domingo, 19 de fevereiro de 2017

Onde está a fonte da vida?

Provérbios 16:15 Na luz do rosto do rei está a vida, e a sua benevolência é como a nuvem da chuva serôdia.


Deste de criança, deparamos com este questionamento. Recordo-me de ver em filmes e desenhos infantis, pessoas a procura da fonte da vida, ou fonte da juventude. Um dos que mais me recordo, e um desenho onde o pica-pau, encontra a fonte da juventude, e voltava a ser filhote, e eu ficava imaginando: Será que esta fonte existe mesmo?


Mais quando agente é criança, não tem muita noção sobre vida e morte, até que crescemos e deparamos com esta triste realidade; a cada dia vivido, mais perto estamos da morte.


Por muito preocupar com a vida, esquecemos do principal; o autor da vida, o dono da vida. Todas as coisas foram feitas por Ele, sem Ele nada do que foi feito se fez, Nele estava a vida e a vida era a luz dos homens. João 1:4


A morte era um mal que eu temia, até que um dia eu conheci o Autor da vida, o Rei dos reis, o Senhor dos senhores, é entendi qua a morte, o nosso maior inimigo foi vencido por Ele. (tragada foi a morte)I Cor 15:4


Sua benevolência é como a chuva serôdia.


E como se não bastasse a vida, Ele nos enche com as suas benevolências, com todo o bem que só Ele pode nos proporcionar.


Que são como a chuva serôdia. Como assim?


A Bíblia fala de dois tipos de chuva, a temporã, e a serôdia. A temporã era a chuva que caia no período do outono, período onde se plantava devido as chuvas constantes. É aquela chuva que você olha para o tempo, olha para as nuvens, e sabe que vai chover.


Já a chuva serôdia, e aquela que ocorria fora do período chuvoso. Aquela chuva que vem derrepentemente, sem se esperar a chuva cai.


As bençãos do Senhor são assim. Você orou, pediu, e ela não veio, a ponto de você pensar que a sua benção não vira. Mas quando menos você espera, a benção vem. Quando você acha que não tem mais jeito, ela chega.


Você está diante do Rei? Diante do seu trono? Aguarde, persevere, a resposta da sua oração virá no tempo certo, o tempo do Senhor.
Pois o Senhor jamais esquece os seus. 

Rodrigo Mota - Muriaé / MG.

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Uma aporta aberta no céu

Apocalipse 4:1

"... UMA PORTA ABERTA NO CÉU... SOBE AQUI..."

JOÃO... Último dos apóstolos, preso por ANUNCIAR a JESUS como SENHOR, SALVADOR do Homem, (Apc:1:9) se vê agora, sozinho em uma ILHA.
90 anos, Idoso, cansado, mas cheio de GRAÇA, da GRAÇA.
Como calariam um ADORADOR, um EVANGELISTA, um SERVO FIEL, um DISCÍPULO, um APÓSTOLO, um AMIGO de JESUS?,
Como CALAR?
Como CALAR um Servo que VIU CEGOS VEREM?
                                                          COXOS ANDAREM...
                                                          MORTOS LEVANTAREM...
                                                         Multiplicação de Paes e Peixes...
                                                         Um JESUS RESSUSCITAR...TRASLADAR...
COMO CALAR?
JOÃO tinha tudo pra DESISTIR... Deixar de ACREDITAR... ABANDONAR. Mas,como esquecer o JESUS amigo, com semblante de Raiz de terra seca, magro, sem onde reclinar a cabeça, mas capaz de mudar vidas, histórias? Como ESQUECER?
JOÃO não o viu mais... ELE se fora, mas deixou com ele o ESPÍRITO SANTO... O Consolador.
Muito tempo se passara, Amigos tinham morrido, JESUS tinha ido... 90 anos, sozinho, em uma ILHA, sem a família, sem carinho, mas NÃO desistiu do MESTRE, do seu SENHOR, seu SALVADOR... O ESPÍRITO SANTO estava Diariamente ao seu lado.
E, diante dessa FIDELIDADE, desse COMPROMISSO, pode ter REVELAÇÕES GRANDIOSAS.
4 anos PRESO em uma ILHA, como criminoso, abandonado, podia QUESTIONAR MUITAS COISAS...
SENHOR! como permites isso comigo?
POR QUE, SENHOR?
SOU teu SERVO...
NÃO ESTAS VENDO ISSO?
NÃO...
JOÃO sabia em quem tinha CRIDO...
Que o morrer, seria GANHO...
Tinha a MARCA do SANGUE DELE...
A lembrança que João tinha era de um JESUS Homem, mas PODEROSO em OBRAS, SALVADOR.
Nas areias do mar, recebeu do CÉU, as maiores REVELAÇÕES da PALAVRA de DEUS.
Foi capaz, de numa PRISÃO, ver não mais um JESUS Homem, mas um JESUS GLORIFICADO.
O JESUS Sofrido, RAIZ de terra seca, agora era JESUS de Olhos como que de Fogo...
                                                                                                        Voz de muitas águas...
                                                                                                              Voz de Trombeta...
                                                                                                             Rosto como o Sol...
                                                                                                                  Pedra de Jaspe...
                                                                                                          Espada de dois gumes...
Viu agora, não mais o CORDEIRO... Mas, o LEÃO da TRIBO de JUDÁ... O REI dos REIS... Senhor dos Senhores... COROADO..GLORIFICADO.
João, diante de sua FIDELIDADE, de seu COMPROMISSO com o ETERNO, viu na Prisão, na Ilha de Patmos, uma PORTA ABERTA NO CÉU, e uma Voz que dizia:
SOBE AQUI...  Apc 4:1

Essa é a PORTA, que os SERVOS FIÉIS, àqueles que não irão Desistir de JESUS, mesmo na Ilha de Patmos, verão no CÉU... ABERTA.
Essa é a VOZ , dizendo SOBE AQUI, que SERVO FIEL, irá ouvir.

ESTAMOS NA ILHA DE PATMOS...
Sem o JESUS Homem... Mas,com o ESPÍRITO SANTO,  AGUARDANDO com toda a CERTEZA, o JESUS GLORIFICADO, REI, COROADO de GLÓRIA.

E você? Desistiu de JESUS na sua ILHA de PATMOS?

Olhe pra CIMA... A PORTA ainda está ABERTA.


Clélia2017...Acessem o blog dela...

http://coraoquepulsa.blogspot.com.br/

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

O Espírito Santo, nossa suficiência

E respondeu e me falou dizendo: Esta é a palavra do Senhor a Zorobabel, dizendo: Não por força, nem por violência, mas pelo o meu Espírito, diz o Senhor dos Exércitos. Quem és tu, ó monte grande? Diante de Zorobabel, serás uma campina; porque ele trará a primeira pedra com aclamações: Graça, graça a ela.” (Zc 4.6,7).
Zorobabel, tinha um desafio em suas mãos, não apenas conduzir o retorno do povo do cativeiro Babilônico, mas juntamente com Josué trabalhar a reconstrução do templo, para isso grandes eram as dificuldades. Mas, no versículo 3, ele foi comparado com Josué a duas oliveiras que estavam a direita e a esquerda do vaso de azeite, símbolo do Espírito Santo e é exatamente do Espírito que viria a força para eles continuarem a obra, por isso o Senhor dos Exércitos disse: “Não por força, mas, pelo o meu Espírito”.
Quando Deus nos manda realizar sua obra, por maiores que sejam os montes, as dificuldades, sendo a nossa suficiência o Espírito Santo, isso nos basta. Zorobabel, embora governador de uma província insignificante do império Persa, recebeu a promessa de que concluiria as obras do templo (Zc 4.9)
Por mais fraco e pequenino que sejamos, o Senhor Deus tem nos alistados para uma grande obra, e é ele quem nos dará a vitória. Pensemos nisso!
Pedro Veiga - Ipatinga / MG. 

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Esperando Ele voltar

Lc 10,35b … Cuida dele; e tudo o que de mais gastares eu to pagarei quando voltar.
Fico imaginando o homem que recebesse um cuidado deste. Quanta gratidão teria em seu coração? Quanta gratidão teria por alguém que o livrou da morte.

Fico imaginando qual seria o final desta parábola. Imagino o bom samaritano voltando, e encontrando aquele homem que possivelmente estaria o esperando para agradecer, para lhe abraçar, e expressar sua gratidão.

Será que alguém seria capaz, de ir embora, viver a sua vida, e se esquecer de tudo que o bom samaritano fez por ele? Pois bem, Jesus não conta o fim desta parábola.
Por quê? E como seria o final desta história?

Jesus não contou o final desta parábola, porque este momento ainda está para acontecer. O final desta história quem decide somos n
ós.

A parte do Senhor foi nos dar a certeza, que Ele voltará. E você? Qual será sua escolha? Ir embora, viver como nada tivesse acontecido? Ou ficar, e esperar o Senhor voltar?
Rodrigo Mota - Muriaé / MG

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

A cana quebrada

Não esmagará a cana quebrada...” ( Mt 12.20)
A profecia acima se refere ao Senhor Jesus e foi proferida pelo profeta Isaías, bem antes da encarnação do Verbo de Deus, podemos constatar isso, com uma simples leitura do cap. 42 do livro do citado profeta Messiânico, o qual profetizou a respeito do Filho do Homem, aproximadamente 700 anos antes Dele se fazer carne.
Como bem lembra Ralph Gower, a flauta era feita de dois pedaços de bambus e fazia parte dos bens do pastor, pelo fato de ser frágil se estragava com facilidade, ocasião em que o pastor jogava fora e fazia outras novas. Todavia, essas flautas representam nós seres humanos, que somos instrumentos na mão do Pastor Jesus.
Ao contrário dos pastores da época, que preferiam esmagar e descartar a cana quebrada, o método de CRISTO é diferente, trabalha com regeneração, ou seja, alivia os oprimidos, sara os doentes e enfermos, põe sobre eles julgo suave e fardo leve.
Por isso, se você está fraco e abatido, vá até Aquele que disse: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei”. Se estás ansioso: “Lança sobre Ele toda a vossa ansiedade, porque Ele tem cuidado de vós! (1 Pe 5.7).
Pedro Veiga - Ipatinga / MG

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

A caminhada de Rute

Rute 1:16 Disse, porém, Rute: Não me instes para que te abandone, e deixe de seguir-te; porque aonde quer que tu fores irei eu, e onde quer que pousares, ali pousarei eu; o teu povo é o meu povo, o teu Deus é o meu Deus;

Um livro pequeno, mas com uma grande mensagem, mensagem de mudança, de transformação, de superação. Livro que começa com uma família sendo destruída, devido a erros cometidos, mas termina com uma família sendo restaurada. E não foi uma família qualquer, mas uma família de onde um dia, Deus enviaria ao mundo o salvador.

Apos a morte de seu esposo e filhos Noemi decide voltar para Belém, porque Deus havia visitado seu povo. E as suas duas noras Rute e Orfã, decidem ir com ela (vs 10), porém chega um momento que Orfã desiste, mas Rute persiste até o final.

Não estamos na caminhada de um dia. Lucas 13:33 Importa, caminhar, hoje, amanha e no dia seguinte, para que não morra o profeta fora de Jerusalém.

Muitos começam a caminhada, mas param de repente. Rute era Moabita, e a lei não permitia um Moabita permanecer na congregação do Senhor. Dt 23:3.

Mas além de permanecer, ela entrou na árvore genealógica de Jesus. Por quê? No momento que ela declara a Noemi, dizendo seu povo será o meu povo, teu Deus será meu Deus, Rute estava quebrando todos os laços com sua condição de ser Moabita, e passando a ser Israelita. Era como dizer, nasci e cresci Moabita, mais a partir de hoje escolho fazer parte do povo de Deus. Ela sai da lei e entra na Graça. E quando chega em Belém, Rute tem o encontro com Boas, um homem rico, que resgatou as terras da família de Noemi, casou-se com Rute e tiveram um filho que foi o avó do rei Davi. E da linhagem de Davi veio ao mundo o nosso Salvador, Jesus Cristo.

Tudo isso porque ela decidiu ir até o fim, e fez uma escolha que mudou sua vida “teu Deus será meu Deus”. E nos, até onde caminharemos?


Mensagem: Rodrigo Mota – Muriaé/MG.

sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Que em 2017 ...

E aconteceu que naqueles dias subiu ao monte a orar, e passou a noite em oração a Deus. E, quando já era dia, chamou a si os seus discípulos, e escolheu doze deles. Lc 06,12 -13.

Normalmente, levados pela mídia e pelos acontecimentos sociais, fim de ano é hora de parar pra pensar como foi o 2016 e repensar os planos para 2017. É a dieta que não saiu do papel, a poupança que não foi iniciada e o carro que não foi trocado. É assim mesmo...quase pra todo mundo...É um tempo também que aumentam os pedidos a Deus. Talvez, Ele nunca tenha ouvido tantos pedidos e promessas quanto ouça nos últimos dias do ano. O mal não está nos pedidos. O problema é que muitos pedidos não continuarão a ser feitos em forma de orações durante o ano.

Lembrei-me ontem do texto em questão. Jesus passou a noite toda no monte em oração. Ao amanhecer do dia, vai escolher seus discípulos. Escolheu Judas. Aquele que o trairia tempos depois. Teria o mestre errado em sua escolha? Falhou a oração?

Não! Ao descer do monte Jesus tinha a certeza do projeto que o Pai lhe confiara. E o projeto de Deus é o melhor para o homem.

Sem entender nada de Bíblia, projeto, salvação, num pensamento simplório, concebe-se que a eleição para o apostolado de Judas fosse um erro. Mesmo assim, caro leitor, ouso te perguntar se a tristeza pela traição de Judas não fora suprimida ao ver a obra que foi gerada no coração dos outros onze apóstolos, que após o pentecostes, saíram a pregar as boas novas.

Fechando o texto então. Que possamos ter um 2017 de mais oração, mais busca e comprometimento com a obra do Senhor. Só assim, entenderemos os “judas” que passamos nesta vida e poderemos colher mais frutos para a eternidade. 

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Deus dos montes ou dos vales?

Porque os servos do rei da Síria lhe disseram: Seus deuses são deuses dos montes, por isso foram mais fortes do que nós; mas pelejemos com eles em vales, e por certo veremos, se não somos mais fortes do que eles! 1 Reis 20:23
O seu Deus é Deus dos montes ou Deus dos vales?
Houve uma guerra entre Israel e a Síria com vitória para os primeiros. Revoltosos da derrota, procurando os porquês de sua queda, chegam a conclusão que perderam pois a luta se deu nos montes e os “deuses” de Israel são de montes, mas se a guerra se travasse no vale, o desfecho seria outro.
Inicia outra guerra, agora, no vale, contudo, o desfecho é igual: vitória dos israelitas. Isso se explica muito facilmente; a vitória de Israel não estava na quantidade, nas armas usadas ou nos melhores planos e estratégias, Israel venceu porque DEUS estava com eles.
Na Bíblia o monte é costumeiramente figurado como local de segurança. Deus manda Ló fugir para o monte ao sair de Sodoma. O salmista já dizia que “elevo os meus olhos para o monte” (era onde esperava socorro). Já o vale é conhecido como local de dificuldade. A maior delas, também é citada pelo salmista: Ainda que andasse pela vale da sombra da morte.
Não se espante. Assim como os Sírios julgavam que o Deus de Israel era somente dos montes, muitas pessoas também te veem assim. Dizem que você é crente pois tem uma boa família, emprego, carro, saúde, etc. Está seguro no monte. Mas questionam, “quero ver ir pra igreja, falar de Deus, andar com Bíblia se estiver no vale”. Assim, como Jó, sem família, saúde e bens, será que confirmam a fé?

Nesse momento irmãos é hora de fazer como Israel, ir e vencer. Nossa alegria é ultracircunstancial, não estamos ligados a relevos, terrenos, coisas ou bens materiais. Nossa alegria está no Senhor e dizer ao mundo com nosso testemunho: o nosso Deus é Deus de montes e de vales!

domingo, 4 de dezembro de 2016

O melhor investimento

O sábio Salomão, diz em Eclesiastes que “tudo é vaidade”, esta palavra nos passa a ideia do vazio resultante da vida distante de Deus; é algo sem sentido, fútil e trivial. Nesse sentido, tudo que o homem faça sem ter em vista a eternidade é vaidade. É algo que não tem valor permanente e no final leva a frustração.
Na busca pela felicidade, Salomão, procura ser estimulado pelo vinho; faz obras magníficas; edifica casas; planta vinhas; adquire servos e servas; amontoa prata e ouro, tesouros dos reis e das províncias; proveu-se de cantores e cantoras, e das delícias dos filhos dos homens; e de instrumentos de música de toda espécie, mas tudo isso também não passou de vaidade.
O sábio rei chega à conclusão que essas coisas não podem trazer sentido para a vida, ao riso disse: Está doido; e da alegria: De que serve esta? (v.2). A verdade é que o sentido da vida está em coisas simples:
Não há nada melhor para o homem do que comer e beber e fazer com que sua alma goze do bem do seu trabalho. Também vi que isto vem da mão de Deus” ( Ec 2. 24)
Portanto, deixemos de ter uma vida vazia e “busquemos as coisas que são de cima” (Cl 3.1), invistamos n’um reino que não é deste mundo, sabendo que teremos uma recompensa ( 1 Co 15.58) que nunca nos será tirada (Lc 11.42).

Pedro Veiga

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Mensagem aos Aspirantes 2016

O coração do homem considera o seu caminho, mas o Senhor lhe dirige os passos; Pv 16, 09
Ao contrário do que alguns pensam, a queda do homem no jardim do Éden não começa com a figura do inimigo, transvestido de serpente, oferecendo uma maçã a companheira de Adão. Sua proposta não fala em maçã e é bem maior. “Torná-los como Deus” (Gn 03, 05).
Essa proposta acompanha o homem durante toda sua trajetória. É de fato tentadora e por isso o homem se adapta tão fácil a tudo que o coloque como centro do universo. Daí surgem o antropocentrismo, a teologia cristã liberal, e segue relação.
Se descobrir os mistérios da criação do mundo, dominar as galáxias, conhecer curas ou fórmulas e métodos que afastam o homem da morte trazem a falsa sensação de dominar o poder da vida e sentir-se “deus de si”, o medo do desconhecido, do simples amanhã que te espera ou do fato de não dominar escolhas que virão sobre sobre sua vida afligem a alma do homem.
Todo este contexto, meu nobre amigo aspirante, é pra te dizer que sim, nós tentamos dominar os fatores possíveis sobre nossa carreira, estudar o máximo para voltar para casa, bons relacionamentos, contatos, etc, mas...
Em palavras mais simples e claras; da noite para o dia RPMs são criadas, Cias viram batalhões e onde não tinha vaga pra você agora tem. Pra você que contava com uma vaga certa, um mais antigo a ocupou. De certo, mesmo, é que fizemos dois anos de planos segundo o nosso coração mas agora veremos que prevalecerá a vontade Daquele que guia nossos passos. E que bom que é assim, pois, ainda que agora você possa não compreender, independente para onde formos mandados, verdadeiramente, para as coisas do nosso Senhor podemos dizer: "lá na frente você vai entender..." e  completar: "... e foi o melhor"!!! 

domingo, 20 de novembro de 2016

Manifestações do Sagrado

A Bíblia não faz distinção entre religioso e secular, esse é um conceito moderno. Faz, entretanto, distinção entre santo e profano.
De uma maneira geral podemos entender “santo” como consagrado, estar separado, posto à parte (do mundo). O santo se coloca em oposição ao profano que, também de modo geral aplica-se ao que está fora do templo.
O par sagrado-profano é posto em relação ao par pureza-impureza e todo o povo de Deus é convocado à santidade, o que significa ser separado para Ele.
O povo da Bíblia não tem qualquer problema com esses conceitos, para eles o sagrado é o real e, por isso, eles convivem com essa realidade o tempo todo.
Abrão recebe um comando para sair do meio de sua parentela e obedece. O SENHOR fala com ele e não há espanto. O SENHOR e dois anjos aparecem para Abraão nos carvalhais de Manre, ele se prostra e os oferece hospitalidade. Jacó luta com o Anjo do Senhor e lhe diz: “só te deixarei ir se me abençoares”.
A mulher de Manoá, mãe de Sanção, se encontra com um anjo e não se espanta. Gideão recebe a saudação do Anjo e conversa com ele sem estranhar.
Jesus se depara com pessoas atormentadas por demônio o tempo todo.
Estando Pedro e outros apóstolos em prisão, apareceu-lhe um anjo do Senhor e abriu-lhe a porta do cárcere e eles saíram sem pensar duas vezes.
As pessoas da Bíblia não se espantam com o sagrado. Na verdade, elas vivem essa dimensão.
No século XIX, houve uma reviravolta na teologia surgindo a Teologia Liberal, com impacto principalmente entre os protestantes.
Com dificuldades para se posicionar em razão das críticas do Liberalismo, os teólogos tentaram retirar da religião todos os elementos metafísicos, reduzindo-a aos aspectos éticos. A essência do cristianismo, para eles era ser uma expressão moral humanitária.
Todos os esforços foram realizados para conciliar religião e razão, cristianismo e modernidade. O efeito de todo esse esforço liberal foi produzir em nós um ceticismo em relação às manifestações do sagrado.
Quando alguém diz que o “o SENHOR falou” ou o “ESPÍRITO SANTO me revelou” ou “tive um sonho” ou “visão”, imediatamente é posto em suspeição e passa ao descrédito: “a esse respeito de ouviremos outra hora” (Atos 17:32).
Nesse momento da história, escolhemos ignorar o sagrado atribuindo-lhe a categoria de mito ou superstição. Problemas espirituais são tratados com muita medicação e conversa e enquanto você vai lendo este texto (se não o abandonou na metade), eu vou sendo arrastado dentro de sua mente para alguma categoria como “fanático”, “supersticioso”, ”atrasado”, ”maluco”...
Cel QOR Cícero PMMG

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

O que é ser bem aventurado?

Texto: Mt 5.11 e12
Sempre que medito no Sermão da Montanha, fico a pensar nas “bem-aventuranças”. O texto expressa que são bem aventurados “os que sofrem perseguição por causa da justiça” (v.10) e os injuriados e perseguidos por amor ao Senhor Jesus Cristo (v.11) ...
É interessante que sempre falamos que o termo “bem-aventurado” significa feliz. Todavia, observação importante traz a nota de rodapé da Bíblia de Estudo Palavras-Chave, que alerta para o fato de felicidade está associada a circunstâncias favoráveis, já bem-aventurado (gr. “makarios”) significa estar plenamente satisfeito e esta satisfação não está relacionada com circunstâncias favoráveis, mas é resultado da habitação do Espírito de Cristo na vida do indivíduo.
O salmista Davi faz o seguinte clamor: “Torna a dar-me a alegria da tua salvação e sustém-me com um espírito voluntário” (Sl 51.12). Nós somos bem-aventurados quando temos esta alegria.
Porquanto, ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; o produto da oliveira minta, e os campos não produzam mantimento; as ovelhas da malhada sejam arrebatadas, e nos currais não haja vacas. Todavia, eu me alegrarei no Senhor e exultarei no Deus da minha salvação. (Hb 3.17, 18).

Esta é a postura de uma pessoa bem-aventurada, portanto, mesmo que você esteja no vale, passando por momentos de densas trevas, lembre-se que nada pode nos separar do amor de Deus em Cristo Jesus. Pense nisso!
Pedro Veiga.

sexta-feira, 15 de julho de 2016

Deus está no controle

Na verdade, na verdade te digo que, quando eras mais moço, te cingias a ti mesmo, e andavas por onde querias; mas, quando já fores velho, estenderás as tuas mãos, e outro te cingirá, e te levará para onde tu não queiras. João 21:18

Hoje alguns colegas de profissão estão se formando. Ontem saiu a designação para onde iriam. A frustração levou muitos às lágrimas. Uma vida construída em um lugar, mas para lá, não voltarão...
É triste? Sem dúvida alguma, mas para quem serve a Deus podem e devem encarar de uma outra forma.
Jesus deixa claro a Pedro que enquanto fosse moço (neófito, imaturo, sem entendimento do Projeto de Vida Eterna) ele iria para onde queria, para onde achasse melhor, mas quando fosse velho (experiente, provado, com entendimento da Vida), alguém estenderia a mão e levaria para onde não quisesse.

Amigos, talvez estejam sofrendo por não ir onde querem, mas vejam, Deus tem um projeto muito maior. Deixe que Ele conduza suas vidas. Não foi o Estado quem pegou em suas mãos a fórceps. Foi um Deus que tem marcado em suas mãos a nossa Vitória. Ele te cingirá e te levará para um PROJETO muito maior, ainda que hoje não possam compreender.

segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Serve-te de ires com os teus servos


E disse um: Serve-te de ires com os teus servos. E disse: Eu irei. II Rs 06, 03

Os filhos dos profetas tinham um problema: precisavam de um lugar para habitar. Ao invés de murmurarem, sentarem-se a lamentar reclamando da sorte, chegaram diante de Eliseu já com a proposta que solucionaria o impasse. Contudo, as boas intenções nem sempre se mostram a solução mais correta. A Bíblia já nos adverte que há caminhos que ao homem parecem bom mas o fim é a morte.

O fim daquele caminho não era morte, mas o trabalho que levaria a solução do problema habitacional reservou uma triste situação. Um dos operários durante o corte autorizado das árvores veio a perder o machado que caiu dentro d'água. Não bastasse o prejuízo, o machado nem era do pobre trabalhador... O que seria motivo para uma "justa causa" tornou-se em uma operação de maravilhas. Eliseu faz flutuar o machado e confirma mais uma vez diante dos filhos dos profetas a unção que estava sobre si.

Não quero ressaltar hoje a proeza de Eliseu, o valor do machado ou a bem bem-aventurança dos filhos dos profetas em serem proativos. O que me chama atenção nesta história é: "E disse um: Serve-te de ires com os teus servos. E disse: Eu irei". O trabalho era simples: cortar árvores. Não tinha o que dar errado. Mas a Bíblia registra que “um”, que nem o nome registrado foi, não contenta-se com a autorização de Eliseu para o trabalho, mas antes, chama-o para ir junto.

É pouco perguntar a Jesus se podemos comprar uma casa. Precisamos que Ele venha morar conosco. É pouco perguntarmos a Deus se podemos comprar um carro. Precisamos que Ele nos acompanhe na viagem... O grande diferencial não é ser um grande identificador de problemas, um proativo trabalhador ou um “aparecido” funcionário. O importante é chamar Aquele que pode resolver qualquer que seja o problema que surgir. E a bênção maior é ouvir do Senhor: Eu irei!!!