segunda-feira, 17 de julho de 2017

A visão de Jesus

E eu, quando o vi, caí a seus pés como morto; e ele pôs sobre mim a sua destra, dizendo-me: Não temas; Eu sou o primeiro e o último; Ap 01, 17
João, o escritor de apocalipse conhecia muito bem o Senhor Jesus, podemos dizer que foi o Apostolo que mais o conhecia Jesus.
E agora estava maravilhado em ver Jesus novamente. Por quê?
Porque ele conhecia um Jesus cheio de dores, de sofrimento, Aquele que tinha morrido na cruz, e agora estava vendo um Jesus glorificado.
Cada olhar
A cada olhar para Jesus, o apóstolo via algo novo e descrevia, e ele vai dizendo: Seus olhos são como chama de fogo, cabelos como a branca lã, sua voz como de muitas águas.
Conhecer Jesus é assim, a cada olhar eu descubro algo novo, eu vejo algo novo, eu conheço algo diferente.
A cada passo neste caminho, Jesus se revela a nos com algo novo, a cada momento algo maravilhoso.
O olhar do mundo para Jesus
No tempo em Jesus caminhou neste mundo, muitos ao olhar para Ele, o desprezaram.
Nos hoje olhamos e o adoramos.
Venderam Jesus por 30 moedas de prata.
Hoje o vendem por um copo de bebida, um maço de cigarros, uma pedra de crack, uma amizade, um namoro, um casamento, coisas tão pequenas em comparação ao que Ele tem reservado para nos.
Abrem mão de Jesus por muito pouco.
Caí como morto
Quando João viu caiu como morto, mas por que?
Somente o homem que tem uma experiência com Jesus vivo, caem como mortos.
Somente assim o homem vive a experiência de morrer para este mundo e viver para Deus.
Colocou a destra dizendo
Quando João caiu como morto, Jesus colocou Sua destra sobre ele, João já havia sentido as mãos calejadas de Jesus, mas agora sentia as mãos de um Deus todo poderoso.
Como é bom sentir o toque de Jesus, como é bom ouvir a voz de Jesus, voz do bom pastor, a voz que acalma a alma.
Diz a palavra que, certa vez, uma viuvá carregava seu filho para a cova, Jesus encontrou com a multidão que carregava o caixão, Jesus falou e tocou no esquife, e ele levantou.
Lazaro estava no túmulo, Jesus bradou Lazaro sai para fora.
Leproso. Nunca mais podia ver sua família. E mais, nunca mais podia sentir o toque de ninguém, o abraço de ninguém, nunca mais ele sentia a mão de ninguém, porque a lei dizia tocou no leproso fica leproso. O leproso se ajoelhou diante de Jesus, e falou Senhor se queres pode limpar-me. Jesus disse eu quero, e colocou as mão no leproso. Porque tocou...? Não precisava tocar, era só dizer, seja limpo. Mas Jesus fez questão, porque a lei dizia tocou no imundo fica imundo. Mas com Jesus foi diferente, Ele tocou no impuro e não ficou impuro, mas o impuro ficou limpo.
O amor e mais forte do que a lei.
O centurião tinha um criado enfermo a beira da morte, chega até Jesus e diz Senhor não sou digno que entres em minha casa, e sei que basta uma palavra sua para meu criado ter saúde.
Quantos familiares nossos, amigos, estão enfermos, doentes, na maior doença que é o pecado, mas basta uma palavra do Senhor, e tudo pode mudar.
Rodrigo Mota - Muriaé / MG

quinta-feira, 29 de junho de 2017

O que multiplicar...você escolhe!

II Rs 04, 5 Partiu, pois, dele, e fechou a porta sobre si e sobre seus filhos; e eles lhe traziam as vasilhas, e ela as enchia.


Restringindo-se aos fatos narrados, quem sabia da dívida era a viúva, mulher que pela condição de viuvez, tinha motivos suficientes para se preocupar. Em vez de reclamar, ela vai ao homem de Deus para que ele pudesse lhe dar um pouco de esperança. E Eliseu o faz. Recomenda àquela mulher que multiplique o pouco que tinha. Bem, ela tinha um bocado de azeite e muita dívida.
Talvez, até sem saber o motivo, os filhos da viúva cumprindo orientação da mãe, começam a trazer os vasos vazios solicitados. E neste momento a mulher começa encher os vasos vazios trazidos por seus filhos.
Não se engane, através de você, Deus quer dar esperança (azeite) a muita gente que vive uma vida vazia (vasos). Muitos que chegam a nós reclamando de problemas minúsculos muitas vezes não tem a noção do risco que estão correndo (filhos como garantia da dívida), mas indo ao homem de Deus (Jesus), podemos reverter o quadro deles. Talvez, hoje vivam desfrutando da multiplicação da benção na vida de alguém que conhece ao Senhor, mas certamente chegará o dia que terão suas próprias experiências de esperanças multiplicadas.

Tem muita gente vazia se achegando. Você pode se juntar a eles e ser mais uma vaso vazio, reclamando da vida, da igreja, do pastor. Você pode ajudar a multiplicar a esperança que um dia Deus colocou em sua vida (vida eterna). Multiplicar dívida para o credor ou azeite para pagar dívida. A escolha é sua!

terça-feira, 7 de março de 2017

Muito prazer: Eu Sou O Abençoador

Gênesis 32:27-29 E disse-lhe: Qual é o teu nome? E ele disse: Jacó.Então disse: Não te chamarás mais Jacó, mas Israel; pois como príncipe lutaste com Deus e com os homens, e prevaleceste. Jacó lhe perguntou, e disse: Dá-me, peço-te, a saber o teu nome. E disse: Por que perguntas pelo meu nome? E abençoou-o ali.

Uma das primeiras coisas que fazemos quando conhecemos alguém é falar nossos nomes. Quando Deus encontra Moisés, uma das primeiras coisas que Moisés fez foi perguntar o nome do Senhor, e o Senhor disse: Eu Sou o que Sou.

Mas no caso de Jacó não foi assim, eles ficaram uma noite inteira lutando, e somente quando o Senhor ia embora, ouve a apresentação formal.

Isso é uma realidade que ainda ocorre nos nossos dias, pessoas que passam a vida lutando com Deus, mas na verdade não conhecem o Senhor.

O Senhor foi muito claro ao dizer, que no dia do juízo, muitos chegarão até Ele é dirão, eu expulsei demônios, curei, e o Senhor olhará é dirá, apartai vos de mim, pois nunca vos conheci.

Vejamos que, pela insistência de Jacó, o anjo (ou Senhor) pergunta seu nome. É certo que o Senhor é onisciente, mas quando pergunta a Jacó seu nome, foi a oportunidade de Jacó confessar quem ele era. É o momento que reconhecemos ao Senhor nossos pecados, nossa vida longe Dele, cheia de erros, e enganos. E é neste momento que o Senhor nos revela o que tem para nós; uma nova vida, um novo homem, um novo nome.

Jacó tinha tudo, isto ele mesmo declara em Gênesis 33:11, mais lhe faltava uma coisa. Ele estava condenado a morte, pois seu irmão Esaú havia prometido que lhe mataria. Nós estamos todos condenados a morte, e somente o Senhor pode nos livrar deste juízo. E para livrarmos desta condenação se faz necessário nascer de novo, da água e do Espírito.

Jaco então pergunta ao Senhor. Qual seu nome? E a resposta não vem com palavras, mas com uma atitude. Então o abençoou. Imagino, que todas as vezes que Jacó se lembrava daquele dia, daquele encontro, podia dizer: “Eu tive um encontro, com aquele que me abençoou. Eu tive um encontro, com aquele que mudou meu nome. Eu tive um encontro, com aquele que me livrou da morte”.
Muito prazer Eu sou O Abençoador.

Rodrigo Mota - Muriaé / MG

domingo, 19 de fevereiro de 2017

Onde está a fonte da vida?

Provérbios 16:15 Na luz do rosto do rei está a vida, e a sua benevolência é como a nuvem da chuva serôdia.


Deste de criança, deparamos com este questionamento. Recordo-me de ver em filmes e desenhos infantis, pessoas a procura da fonte da vida, ou fonte da juventude. Um dos que mais me recordo, e um desenho onde o pica-pau, encontra a fonte da juventude, e voltava a ser filhote, e eu ficava imaginando: Será que esta fonte existe mesmo?


Mais quando agente é criança, não tem muita noção sobre vida e morte, até que crescemos e deparamos com esta triste realidade; a cada dia vivido, mais perto estamos da morte.


Por muito preocupar com a vida, esquecemos do principal; o autor da vida, o dono da vida. Todas as coisas foram feitas por Ele, sem Ele nada do que foi feito se fez, Nele estava a vida e a vida era a luz dos homens. João 1:4


A morte era um mal que eu temia, até que um dia eu conheci o Autor da vida, o Rei dos reis, o Senhor dos senhores, é entendi qua a morte, o nosso maior inimigo foi vencido por Ele. (tragada foi a morte)I Cor 15:4


Sua benevolência é como a chuva serôdia.


E como se não bastasse a vida, Ele nos enche com as suas benevolências, com todo o bem que só Ele pode nos proporcionar.


Que são como a chuva serôdia. Como assim?


A Bíblia fala de dois tipos de chuva, a temporã, e a serôdia. A temporã era a chuva que caia no período do outono, período onde se plantava devido as chuvas constantes. É aquela chuva que você olha para o tempo, olha para as nuvens, e sabe que vai chover.


Já a chuva serôdia, e aquela que ocorria fora do período chuvoso. Aquela chuva que vem derrepentemente, sem se esperar a chuva cai.


As bençãos do Senhor são assim. Você orou, pediu, e ela não veio, a ponto de você pensar que a sua benção não vira. Mas quando menos você espera, a benção vem. Quando você acha que não tem mais jeito, ela chega.


Você está diante do Rei? Diante do seu trono? Aguarde, persevere, a resposta da sua oração virá no tempo certo, o tempo do Senhor.
Pois o Senhor jamais esquece os seus. 

Rodrigo Mota - Muriaé / MG.

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Uma aporta aberta no céu

Apocalipse 4:1

"... UMA PORTA ABERTA NO CÉU... SOBE AQUI..."

JOÃO... Último dos apóstolos, preso por ANUNCIAR a JESUS como SENHOR, SALVADOR do Homem, (Apc:1:9) se vê agora, sozinho em uma ILHA.
90 anos, Idoso, cansado, mas cheio de GRAÇA, da GRAÇA.
Como calariam um ADORADOR, um EVANGELISTA, um SERVO FIEL, um DISCÍPULO, um APÓSTOLO, um AMIGO de JESUS?,
Como CALAR?
Como CALAR um Servo que VIU CEGOS VEREM?
                                                          COXOS ANDAREM...
                                                          MORTOS LEVANTAREM...
                                                         Multiplicação de Paes e Peixes...
                                                         Um JESUS RESSUSCITAR...TRASLADAR...
COMO CALAR?
JOÃO tinha tudo pra DESISTIR... Deixar de ACREDITAR... ABANDONAR. Mas,como esquecer o JESUS amigo, com semblante de Raiz de terra seca, magro, sem onde reclinar a cabeça, mas capaz de mudar vidas, histórias? Como ESQUECER?
JOÃO não o viu mais... ELE se fora, mas deixou com ele o ESPÍRITO SANTO... O Consolador.
Muito tempo se passara, Amigos tinham morrido, JESUS tinha ido... 90 anos, sozinho, em uma ILHA, sem a família, sem carinho, mas NÃO desistiu do MESTRE, do seu SENHOR, seu SALVADOR... O ESPÍRITO SANTO estava Diariamente ao seu lado.
E, diante dessa FIDELIDADE, desse COMPROMISSO, pode ter REVELAÇÕES GRANDIOSAS.
4 anos PRESO em uma ILHA, como criminoso, abandonado, podia QUESTIONAR MUITAS COISAS...
SENHOR! como permites isso comigo?
POR QUE, SENHOR?
SOU teu SERVO...
NÃO ESTAS VENDO ISSO?
NÃO...
JOÃO sabia em quem tinha CRIDO...
Que o morrer, seria GANHO...
Tinha a MARCA do SANGUE DELE...
A lembrança que João tinha era de um JESUS Homem, mas PODEROSO em OBRAS, SALVADOR.
Nas areias do mar, recebeu do CÉU, as maiores REVELAÇÕES da PALAVRA de DEUS.
Foi capaz, de numa PRISÃO, ver não mais um JESUS Homem, mas um JESUS GLORIFICADO.
O JESUS Sofrido, RAIZ de terra seca, agora era JESUS de Olhos como que de Fogo...
                                                                                                        Voz de muitas águas...
                                                                                                              Voz de Trombeta...
                                                                                                             Rosto como o Sol...
                                                                                                                  Pedra de Jaspe...
                                                                                                          Espada de dois gumes...
Viu agora, não mais o CORDEIRO... Mas, o LEÃO da TRIBO de JUDÁ... O REI dos REIS... Senhor dos Senhores... COROADO..GLORIFICADO.
João, diante de sua FIDELIDADE, de seu COMPROMISSO com o ETERNO, viu na Prisão, na Ilha de Patmos, uma PORTA ABERTA NO CÉU, e uma Voz que dizia:
SOBE AQUI...  Apc 4:1

Essa é a PORTA, que os SERVOS FIÉIS, àqueles que não irão Desistir de JESUS, mesmo na Ilha de Patmos, verão no CÉU... ABERTA.
Essa é a VOZ , dizendo SOBE AQUI, que SERVO FIEL, irá ouvir.

ESTAMOS NA ILHA DE PATMOS...
Sem o JESUS Homem... Mas,com o ESPÍRITO SANTO,  AGUARDANDO com toda a CERTEZA, o JESUS GLORIFICADO, REI, COROADO de GLÓRIA.

E você? Desistiu de JESUS na sua ILHA de PATMOS?

Olhe pra CIMA... A PORTA ainda está ABERTA.


Clélia2017...Acessem o blog dela...

http://coraoquepulsa.blogspot.com.br/

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

O Espírito Santo, nossa suficiência

E respondeu e me falou dizendo: Esta é a palavra do Senhor a Zorobabel, dizendo: Não por força, nem por violência, mas pelo o meu Espírito, diz o Senhor dos Exércitos. Quem és tu, ó monte grande? Diante de Zorobabel, serás uma campina; porque ele trará a primeira pedra com aclamações: Graça, graça a ela.” (Zc 4.6,7).
Zorobabel, tinha um desafio em suas mãos, não apenas conduzir o retorno do povo do cativeiro Babilônico, mas juntamente com Josué trabalhar a reconstrução do templo, para isso grandes eram as dificuldades. Mas, no versículo 3, ele foi comparado com Josué a duas oliveiras que estavam a direita e a esquerda do vaso de azeite, símbolo do Espírito Santo e é exatamente do Espírito que viria a força para eles continuarem a obra, por isso o Senhor dos Exércitos disse: “Não por força, mas, pelo o meu Espírito”.
Quando Deus nos manda realizar sua obra, por maiores que sejam os montes, as dificuldades, sendo a nossa suficiência o Espírito Santo, isso nos basta. Zorobabel, embora governador de uma província insignificante do império Persa, recebeu a promessa de que concluiria as obras do templo (Zc 4.9)
Por mais fraco e pequenino que sejamos, o Senhor Deus tem nos alistados para uma grande obra, e é ele quem nos dará a vitória. Pensemos nisso!
Pedro Veiga - Ipatinga / MG. 

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Esperando Ele voltar

Lc 10,35b … Cuida dele; e tudo o que de mais gastares eu to pagarei quando voltar.
Fico imaginando o homem que recebesse um cuidado deste. Quanta gratidão teria em seu coração? Quanta gratidão teria por alguém que o livrou da morte.

Fico imaginando qual seria o final desta parábola. Imagino o bom samaritano voltando, e encontrando aquele homem que possivelmente estaria o esperando para agradecer, para lhe abraçar, e expressar sua gratidão.

Será que alguém seria capaz, de ir embora, viver a sua vida, e se esquecer de tudo que o bom samaritano fez por ele? Pois bem, Jesus não conta o fim desta parábola.
Por quê? E como seria o final desta história?

Jesus não contou o final desta parábola, porque este momento ainda está para acontecer. O final desta história quem decide somos n
ós.

A parte do Senhor foi nos dar a certeza, que Ele voltará. E você? Qual será sua escolha? Ir embora, viver como nada tivesse acontecido? Ou ficar, e esperar o Senhor voltar?
Rodrigo Mota - Muriaé / MG

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

A cana quebrada

Não esmagará a cana quebrada...” ( Mt 12.20)
A profecia acima se refere ao Senhor Jesus e foi proferida pelo profeta Isaías, bem antes da encarnação do Verbo de Deus, podemos constatar isso, com uma simples leitura do cap. 42 do livro do citado profeta Messiânico, o qual profetizou a respeito do Filho do Homem, aproximadamente 700 anos antes Dele se fazer carne.
Como bem lembra Ralph Gower, a flauta era feita de dois pedaços de bambus e fazia parte dos bens do pastor, pelo fato de ser frágil se estragava com facilidade, ocasião em que o pastor jogava fora e fazia outras novas. Todavia, essas flautas representam nós seres humanos, que somos instrumentos na mão do Pastor Jesus.
Ao contrário dos pastores da época, que preferiam esmagar e descartar a cana quebrada, o método de CRISTO é diferente, trabalha com regeneração, ou seja, alivia os oprimidos, sara os doentes e enfermos, põe sobre eles julgo suave e fardo leve.
Por isso, se você está fraco e abatido, vá até Aquele que disse: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei”. Se estás ansioso: “Lança sobre Ele toda a vossa ansiedade, porque Ele tem cuidado de vós! (1 Pe 5.7).
Pedro Veiga - Ipatinga / MG

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

A caminhada de Rute

Rute 1:16 Disse, porém, Rute: Não me instes para que te abandone, e deixe de seguir-te; porque aonde quer que tu fores irei eu, e onde quer que pousares, ali pousarei eu; o teu povo é o meu povo, o teu Deus é o meu Deus;

Um livro pequeno, mas com uma grande mensagem, mensagem de mudança, de transformação, de superação. Livro que começa com uma família sendo destruída, devido a erros cometidos, mas termina com uma família sendo restaurada. E não foi uma família qualquer, mas uma família de onde um dia, Deus enviaria ao mundo o salvador.

Apos a morte de seu esposo e filhos Noemi decide voltar para Belém, porque Deus havia visitado seu povo. E as suas duas noras Rute e Orfã, decidem ir com ela (vs 10), porém chega um momento que Orfã desiste, mas Rute persiste até o final.

Não estamos na caminhada de um dia. Lucas 13:33 Importa, caminhar, hoje, amanha e no dia seguinte, para que não morra o profeta fora de Jerusalém.

Muitos começam a caminhada, mas param de repente. Rute era Moabita, e a lei não permitia um Moabita permanecer na congregação do Senhor. Dt 23:3.

Mas além de permanecer, ela entrou na árvore genealógica de Jesus. Por quê? No momento que ela declara a Noemi, dizendo seu povo será o meu povo, teu Deus será meu Deus, Rute estava quebrando todos os laços com sua condição de ser Moabita, e passando a ser Israelita. Era como dizer, nasci e cresci Moabita, mais a partir de hoje escolho fazer parte do povo de Deus. Ela sai da lei e entra na Graça. E quando chega em Belém, Rute tem o encontro com Boas, um homem rico, que resgatou as terras da família de Noemi, casou-se com Rute e tiveram um filho que foi o avó do rei Davi. E da linhagem de Davi veio ao mundo o nosso Salvador, Jesus Cristo.

Tudo isso porque ela decidiu ir até o fim, e fez uma escolha que mudou sua vida “teu Deus será meu Deus”. E nos, até onde caminharemos?


Mensagem: Rodrigo Mota – Muriaé/MG.